© 2017 por Mi Yoga e Terapia 

O que são Pranayamas?

          Respiração é vida e vida é respiração, nascemos quando respiramos pela primeira vez e morrermos ao deixarmos de respirar. Apesar da grande importância da respiração, onde não podemos existir sem respirar, são poucos os momentos que nos conscientizamos do processo da respiração.

            A palavra Pranayama refere-se ao controle do ou regulação do prana e se dá através de manipulações da respiração por exercícios bem definidos com a suspensão do reflexo respiratório por períodos curtos ou longos, o que em profundidade significa a ausência de inspiração e expiração, ou seja, pausa respiratória.

            No pranayama pratica-se dois tipos de suspensão do reflexo respiratório:

            1. Puraka - retenção com os pulmões preenchidos de ar

            2. Rechaka - retenção com os pulmões esvaziados de ar.

            Qual a diferença entre inspirar e expirar no dia a dia e a prática de pranayama? A diferença é que estes movimentos ocorrem de forma muito mais lenta do que na respiração comum, feitos com absoluta consciência e em conjunto com Puraka e Rechaka e podem ser feitos associados a outras técnicas de Yoga (asanas, bandhas).

               A prática dos pranayamas altera o ritmo do sistema respiratório voluntariamente e este altera o padrão mental do praticante, um exemplo desta relação entre respiração e sistema nervoso é quando experimentamos alguma emoção e nossa respiração se altera. Daí podemos concluir que nossos padrões mentais espelham nossa respiração, portanto podemos concluir que a alteração ordenada no padrão respiratório pode influenciar positivamente no padrão mental


  

Curiosidades:

         Sempre surgem dúvidas de como se escreve ou se pronuncia a palavra "Yoga", portanto vou ampliar tema, foi adotado a escrita da palavra Yoga com o uso de “Y” e não “I”: Ioga, embora segundo o dicionário Aurélio, é um substantivo feminino, escrito com “i”, e falado com “o” aberto. Mas, muitos professores fazem questão de respeitar as raízes: a palavra vem do sânscrito (antigo idioma indiano) e é um substantivo masculino, escrito com “y” e pronunciado com “o” fechado, como se tivesse acento circunflexo.

        Bem eu preferi respeitar as raízes, daí a escolha de manter a escrita tradicional.